AmarTe: a missão continua

Num dia de oração, formação e missão, os jovens da diocese anunciaram a alegria do Evangelho: cantaram, conversaram, pintaram paredes e até limpezas fizeram. Tudo em nome de Jesus, na missão AmarTe.

texto por Missão AmarTe; fotos por André Jerónimo

Na atenção aos que estão sozinhos, nos cânticos entoados pelas ruas de Alvide ou na limpeza de uma casa: foram muitas as atividades missionárias que os participantes da missão AmarTe puderam experimentar, no sábado, dia 24 de outubro, em Alvide, Alcabideche. “Foi um desafio grande de confiança. Trabalhámos até sexta à noite e depois começámos a confiar. Não correu tudo como estava planeado mas, tudo correu com naturalidade e simplicidade! Fomos onde nos sentimos chamados por Jesus, através da Igreja, para rezar, partilhar e servir, em nome de Jesus”, diz Pedro Mateus, chefe da missão.

Ao longo do dia, os participantes puderam ouvir testemunhos de quem já partiu em missão, juntaram-se em oração e, no fim, partiram para uma de seis atividades de missão (evangelização de rua, visita a idosos, oração, limpeza e pintura de casas degradadas e catequese). “Foi bom estar ali. Poder conhecer e encontrar pessoas diferentes, que têm formas diferentes de estar na Igreja, rezam de formas diferentes, estão em missão em locais e de formas diferentes! E o Amor de Deus e a missão da Igreja englobam-nos a todos”, diz o jovem da paróquia de Agualva, que está inserido no movimento Jovens Sem Fronteiras. “Para o futuro, não sei. Mas, a missão da Igreja continua!”, garante.

 

 

Testemunhos de alguns participantes

Joana André (Paróquia de Sobral de Monte Agraço)
“A Missão AmarTe deu-me a conhecer a associação ‘Just a change’. Através da ajuda de voluntários permite a remodelação de habitações de famílias carenciadas. Um projeto muito interessante e que me fez perceber que é importante que o voluntariado vá  cada vez mais de encontro às reais necessidades das pessoas. Ao meu grupo coube a tarefa de limpar a casa de um idoso, que vivia sozinho e que tinha uma deficiência que o impedia de mover o braço direito.”

Gilson Paulo (Missionário – Comunidade Aliança de Misericórdia)
“Conversando com outros missionários, percebemos que a maior parte das pessoas que foram alcançadas nas diversas evangelizações ficaram encantadas e ao mesmo tempo perplexas por verem jovens anunciando, com toda a alegria, o nome de Jesus. Com certeza esta missão irá gerar bons frutos, seja para aqueles que foram encontrados nas evangelizações, seja para os missionários que participaram.”

João Coelho (Belas, Caminho Neocatecumenal)
“Aprendi que ser cristão não é só ir à Missa ao Domingo, mas é dar o testemunho todos os dias e mostrar que Cristo morreu por nós e que Ele é bom.”

Clara Marcos (Paróquia da Brandoa)

“Jesus lançou-nos um desafio e fomos AmarTe! Foi um dia cheio, onde vários jovens se uniram e mostraram à comunidade de Alvide uma Igreja viva que sai ao encontro do outro, através de várias missões. Queremos ser discípulos missionários. Queremos descobrir a cada dia que ser missionário, mais do que fazer coisas, é fazê-las por Jesus, para que sejamos canal do Seu Amor a todos aqueles que Deus permitir cruzarem o nosso caminho.”


Comentários

comentários

Outras Notícias
© Copyright - Juventude-Patriarcado de Lisboa Desenvolvido por Pixelminds | Communicating Brands