Fátima Jovem 2012 – Peregrinar na alegria cristã

Quando se fala em peregrinação, uma série de expectativas surgem e fazem-nos avançar… tudo pode concorrer para que nos coloquemos a caminho. No entanto um cristão é surpreendido ao ver que é Cristo o principal motivo e quer caminhar connosco.

Quem passa por Fátima, em diferentes alturas do ano, certamente se questiona acerca das inúmeras motivações que levam tantos a acorrerem àquele local sagrado. Mas quem por lá passou durante o “fátima jovem” não pôde ficar indiferente à alegria, à cor, à dinâmica e a todo o espírito que os jovens levaram ao santuário. A peregrinação é um tempo favorável de encontro com o Senhor, congregando diversas realidades e falarmos disso é dizer que existem jovens
capazes de não ficar por uma simples “fezada” mas que colocam em prática o desejo de alimentar esta fé, de ir mais além e de “não ficar só por aquilo que se aparenta como superficial”, tal como nos recordava de forma bem cativante o humorista José Pedro Cobra.

De Lisboa partiram para esta peregrinação nacional cerca de duas centenas de jovens. Partiram com o desejo de se encontrarem com Jesus na alegria cristã. A energia, própria da idade, levou-os a viver estes dois dias com grande intensidade. Para as suas paróquias e movimentos, trouxeram as palavras de Bento XVI, citadas na homilia de Domingo – “quem tem fé, nunca está só,
porque Cristo está com ele” . São estes jovens os ramos da “videira” que é a Igreja e que nestes dias demonstraram, uma vez mais, que é uma “Igreja jovem”.

Recordámos a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Madrid. Foram certamente milhões os que se sentiram tocados, por gestos, sinais e que mudaram as suas vidas. Lembremo-nos do que partilhou a Imaculada, diretora da Pastoral Juvenil Espanhola: “Houve um caso de um jovem que enviou um email a pedir um padre. Esteve anos afastado e ao ver as imagens da visita de Bento XVI a Espanha quis confessar-se para que pudesse viver de forma plena a sua fé.”. Quantos outros casos semelhantes terão acontecido? Tal como aí, muitos outros foram tocados durante esta peregrinação nacional de jovens ao santuário de Fátima, no início deste mês de Maio.

Quem não se lembra ainda da “dança da amizade” interpretada pela banda S. Sebastião, no parque 2 do santuário? Quem não se lembra dos momentos de oração no recinto, antecedendo a habitual procissão das velas? Quantos permaneceram em silêncio à passagem do andor de Nossa Senhora de Fátima, oferecendo-lhe os seus problemas? Quantos terão sido tocados por um cântico?
São estes gestos, estas imagens, estes acontecimentos que alimentam a caminhada de cada jovem, vivendo assim, de forma maior, a alegria de ser cristão.

Madre Teresa de Calcutá escreveu que “não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz.”. Deus faz isto diariamente, com todos os que aceitam e dizem “sim”. Estes jovens continuam a ser sinal de uma “Igreja jovem” e provam-no dia-a-dia, com muitas dúvidas, quedas e interrogações mas com a certeza de que é Jesus quem os levanta e caminha junto. Neste encontro os jovens acolheram Jesus. Mas não só isso, acolheram-No com alegria, tal como Maria, não como “uma fuga da realidade, mas uma força sobrenatural para enfrentar e viver as dificuldades quotidianas” (Bento XVI). E isso marcou e marcará toda a diferença.

texto por Filipe Teixeira
foto de João Cláudio Fernandes

 

O SIGNIFICADO DA CRUZ
“A cruz guia-nos” – Escutou-se no início da caminhada desde a Cruz Alta até à Capelinha das Aparições. E era uma cruz carregada de significado. A primeira JMJ fora de Roma aconteceu em 1987 em Buenos Aires, Argentina. Aí, João Paulo II entregou uma cruz a cada continente. A da Europa foi entregue a Portugal e esteve presente durante todo o Fátima Jovem. Na casa de Maria, os jovens seguiram este símbolo do amor maior, e sentiram o acolhimento e a alegria de estar com Cristo e com a sua Mãe.

 

Algumas partilhas dos nossos jovens

É muito bom sentir e encontrar esta alegria em milhares de jovens de todas as dioceses que vieram a Fátima dar o seu testemunho. Mais do que acreditar na Igreja, é preciso ser Igreja.
Mariana Abreu – Massamá

Quando os jovens se entregam a Cristo e depositam Nele toda a sua alegria, o sentimento de união toca e invade os corações. Com o exemplo de Maria, que confiou alegre no Senhor, orámos, rimos e alegrámo-nos no Fátima Jovem.
Joana Maria – Santo Eugénio

Foi um sentimento de conforto e alegria, chegar a casa da Mãe e encontrar em tudo e em todos uma nova oportunidade de amar!
Sara Sousa – Olivais Sul

O Fátima Jovem foi tempo e espaço para encontrar a plenitude de Jesus na alegria e na amizade dos irmãos em Cristo Senhor!
André Graça – Massamá

O Fátima Jovem para mim foi uma experiência única, onde aprendi coisas novas, mas também uma vivência de fé.
Ana Dias – Rio de Mouro

O Fátima Jovem fez me abrir os olhos para a verdade. Graças ao Fátima Jovem percebi coisas que não sabia que podia perceber.
Diogo Barrusso – Rio de Mouro

O Fátima jovem foi uma das melhores experiências da minha vida.
Ana Filipa Santos – Rio de Mouro

 


Comentários

comentários

Outras Notícias
© Copyright - Juventude-Patriarcado de Lisboa Desenvolvido por Pixelminds | Communicating Brands