JDJ – Cristo, a razão da alegria dos jovens de Lisboa

No ano em que o Papa convida os jovens a meditarem o tema da alegria, a juventude da Diocese de Lisboa manifestou esse mesmo espírito no centro da cidade em mais uma JDJ, tendo como tema ‘Em Cristo, a Alegria e a Sabedoria’.

Neste Dia Mundial da Juventude, os cerca de 1600 jovens tiveram o seu ponto de encontro na igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Lisboa. O acolhimento esteve a cargo do grupo de jovens da paróquia de Agualva que animou aquele momento, num clima de grande festa, até ao início do primeiro encontro. Vindos de todos os cantos da diocese, muitos trouxeram imagens de sorrisos ao peito e ainda t-shirts e mochilas de várias edições da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), ajudando assim a tornar presente o espírito vivido na última JMJ em Madrid.

‘A fé da ciência e as razões da fé’
Henrique Leitão, investigador da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, apresentou o primeiro de dois encontros temáticos: ‘A fé da ciência e as razões da fé’. Começando por citar Bento XVI, Santo Agostinho e João Paulo II, e por apontar a procura da verdade como missão da juventude, este professor universitário afirmou que “não há fundamento histórico para considerar o estudo do mundo natural como distração ou distanciamento de Deus”. A ciência, disse Henrique Leitão, “assenta num acto de fé” e pressupõe uma confiança e adesão que “não eliminam o crivo racional”. A mensagem cristã, acrescentou ainda, em vez de oposição, apresenta “um convite a estudar a natureza”, pois “a compreensão do mundo leva à compreensão do próprio Deus”.
Antes da saída da igreja, foi lançado aos jovens o desafio de entregarem um pequeno marcador com a mensagem ‘Deus ama-te’ a um desconhecido durante a caminhada a pé até à igreja de São Domingos, na Baixa lisboeta. Foi um gesto de evangelização que os jovens acolheram e colocaram em prática com muita alegria.

‘A alegria no sofrimento’
Na igreja de São Domingos, os jovens tiveram oportunidade de escutar o segundo encontro temático: ‘A alegria no sofrimento’. Dois jovens, o Pedro e a Sandra, contaram a sua experiência como voluntários no Hospital D. Estefânia junto das crianças e das famílias, durante o período difícil de internamento. E asseguraram: “Recebemos muito mais do que damos”.
Seguiu-se a partilha de Cristina Costa, ex-directora do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil de Lisboa (SDPJ), da sua experiência de sofrimento durante a luta contra o cancro. Esta sublinhou a importância da “partilha do fardo com outros” e da oração que se tornou “ainda mais essencial” nesse período de “sentimentos contraditórios”. Mas garantiu que encarou esse acontecimento como “oportunidade de acolher a vida e de a viver com novo sabor”, pois “Deus esteve sempre muito presente, só Ele é Senhor do meu futuro e da minha vida. Tenho a certeza que me trouxe ao colo o tempo todo”, assegurou. Cristina Costa acrescentou ainda que a experiência da Páscoa de Jesus é essa: “Deus que vem ao nosso encontro e que sofre para nos mostrar que também nós podemos passar pelo sofrimento e viver”. Em clima de alegria, o grupo de jovens da paróquia do Campo Grande animou o encontro com alguns cânticos.
O director do Serviço da Juventude do Patriarcado, padre Carlos Gonçalves, acabou o encontro em São Domingos citando a mensagem de Bento XVI para o Dia Mundial da Juventude: “O cristão autêntico nunca está desesperado ou triste, mesmo diante das provas mais duras; a alegria cristã não é uma fuga da realidade, mas uma força sobrenatural para enfrentar e viver as dificuldades quotidianas”.
À saída, os jovens receberam o Evangelho de São Marcos que está em destaque na Missão Metrópoles, projecto convocado pelo Papa Bento XVI, através do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização.

Catequese Quaresmal na Sé de Lisboa
Às 18 horas, D. José Policarpo acolheu, na Sé Patriarcal, os quase dois mil jovens que aderiram ao seu convite para assistir à 6ª e última Catequese Quaresmal deste ano, sobre o tema: ‘Jesus Cristo é a novidade radical: a fé da Igreja’, momento que culminaria com a celebração da Eucaristia animada musicalmente com os cânticos preparados pela Comunidade Emanuel.
Nesta catequese, o Cardeal-Patriarca enalteceu a presença de centenas de jovens, dizendo: “Gosto de ver a Sé cheia! É um sinal bonito de esperança para a diocese”. Salientou ainda a importância do confronto dos jovens com Jesus Cristo e daquilo que chamou a “revolução do coração”, garantindo que “Deus nunca desiste”. E citou o Beato João Paulo II: “Só em Jesus Cristo se compreende o Homem, pois é Ele que cumpre a promessa de Deus, é Ele o desejado, o ungido do Senhor”.
Aconselhando os jovens, D. José Policarpo referiu ainda: “Alimentem uma relação amorosa com este Deus feito homem, nosso irmão, que veio dar novo sentido a tudo o que nos torna humanos.” Mas advertiu: “A obra do Seu filho precisa de tempo. Para sermos instrumentos de Deus, temos de aprender a esperar e a aproveitar os momentos”. O Patriarca de Lisboa pediu ainda que na Igreja se viva “em Povo de Deus” não de forma individual, porque esta “não é uma caminhada individual de ‘valentões’”. Finalizando, D. José Policarpo assegurou que também os jovens são “capazes de tudo, até de ser santos”.

Concerto no Largo de São Domingos
A Jornada Diocesana da Juventude 2012 terminou com um concerto/festa, no Largo de São Domingos, animado pela banda ‘Projecto Rumos’, um grupo de música cristã originário da paróquia do Sobral de Monte Agraço. Os inúmeros jovens que permaneceram no concerto/festa, apesar da chuva, acolheram entusiasticamente a música, elemento que aliás marcou toda a jornada. O concerto contou ainda com a participação de alguns membros de outra banda cristã, os ‘Anima Christi’.

texto por Diana Campelo; fotos por João Cláudio Fernandes


Comentários

comentários

Outras Notícias
© Copyright - Juventude-Patriarcado de Lisboa Desenvolvido por Pixelminds | Communicating Brands